We Are Church International

Comunicado de imprensa 10 de dezembro de 2016

A congregação do Vaticano para o clero lançou um novo documento ( 8 de Dezembro 2016) intitulado "O Dom da vocação sacerdotal", que é um conjunto de normas para a formação dos sacerdotes. O Papa Francisco aprovou estas normas.

Estas normas são um tremendo insulto  aos milhares de homens gays que serviram e continuam a servir a Igreja com honra e dedicação, disse Sigrid Grabmeier, Coordenadora  do "Movimento Nós Somos igreja Internacional.  Estas normas estão em total contradição  com o famoso comentário do Papa Francisco "Quem sou eu para julgar?"

Estas normas reforçam a percepção que as pessoas gay são falhadas, inadequadas para o ministério, e membros de segunda ou terceira classe da Igreja. As normas também prescrevem que as pessoas que  apoiam a "cultura gay", o que que quer que isto seja, não são dignas do sacerdócio.

As pessoas casadas são todas excluídas porque o celibato é uma exigência absoluta. As mulheres também são completamente ignoradas. "Ao continuar a limitar o sacerdócio    aos homens celibatários, o Vaticano está a garantir que as mulheres e as pessoas com família, permaneçam excluídas de qualquer influência significativa na doutrina e na prática pastoral da Igreja, uma vez que a ordenação é um requisito imperativo para a realização da grande maioria dos cargos com poder. Ainda mais importante, a exclusão de gays e mulheres dá razão aos muitos países e culturas onde eles são humilhados, atacados e até assassinados." disse Grabmeier

"Nós Somos Igreja acredita que Deus chama as pessoas para servir a Igreja, independentemente do sexo, orientação sexual, relação ou estado civil, idade   ou qualquer outro atributo humano" continuou Grabmeier. "Nós insistimos firmemente para que estas orientações sejam retiradas".

#######

Marianne Duddy-Burke
Coordenadora dos Media, We Are Church International This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.