We Are Church International

 

Juazeiro do Norte, 14 de julho de 2013.

 

Nós juventudes reunidos no Trezinho das Comunidades Eclesiais de Base, na diocese de Crato, em preparação ao 13º Intereclesial que vivenciamos a experiência da Justiça e Profecia a Serviço da Vida no Campo e na Cidade. Assim, queremos anunciar a todas as juventudes de todos os continentes que estarão presentes na Jornada Mundial da Juventude e no 13º Intereclesial de CEBs, que seguindo o testemunho do Cristo libertador procuramos vivenciar uma espiritualidade profética, que se torna visível na opção preferencial pelos pobres e na defesa da vida por uma sociedade do bem viver. Impulsionados pela profecia desta terra e dos mártires que na fidelidade ao Evangelho derramaram seu sangue pela causa do Reino, denunciamos:

·        O atual modelo capitalista que movido pelo lucro que mata nossas juventudes, sobretudo, os negros e negras pobres, e assim, destrói a esperança da continuidade da vida que Deus nos deu.

·        A falta de efetivação de políticas públicas específicas para os jovens do campo e da cidade.

·        Os grandes projetos e mega eventos que com a máscara de “desenvolvimento” para o campo e as cidades, expulsam comunidades de seus territórios destruindo as culturas e tradições que historicamente se formaram.

Repudiamos:

·        A redução da maioridade penal por entendermos que ela não resolverá o problema da violência, visto que a mesma tem causa na desigualdade social e na falta de oportunidade para o desenvolvimento de uma vida digna – “Eu vim para que todos tenham vida e vida em abundância” (Jo 10,10).

·        A postura de políticos que se utilizam de bens públicos para alimentarem a ganância pelo dinheiro e a impunidade que favorece a prática de tais crimes – “Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro” (Dt 9).

Por tudo que foi explicitado afirmamos nosso compromisso em:

·        Comungar da luta da juventude negra, indígena, camponesa, pescadores e quilombola, defendendo a sua identidade e territórios.

·        Lutar pela democratização dos meios de comunicação como garantia de espaço e expressão popular, realizando um contraponto da grande mídia que destorce as mais diversas lutas sociais.

·        Assumimos a defesa das mais diversas formas de amar como expressão do gesto em que Jesus acolhe a samaritana (Jo 4), e assim, rompe preconceitos presentes em nós e na sociedade.

Nós, juventudes encantados (as) com o embalo das Comunidades Eclesiais de Base seguiremos firmes na caminhada rumo a uma sociedade em que todos (as) sejam protagonistas de uma nova história.